sábado, 23 de abril de 2011

Sábado e sossego

Saudações!! De algum/bastante tempo enrolando pra postar, e vendo os posts de alguns amigos em outros blogs, me deu vontade de postar de novo =p
Ouvindo "Discípulo de Mestre Bimba" no reggae do Natiruts, um imenso sossego me toma conta nessa tarde ^^
Deixarei um poema, por fim, como uma saudação:
Obs.: "Aru" é uma gíria oriunda daqueles lados do nordeste, pra definir aquele tipo de pessoa que tranca o carro com a chave dentro, que bota a penal no fogo pra ferver água, e esquece de colocar a água...enfim, pessoas como o autor desse blog =p

Oração do Aru

Senhor,

Tem piedade do Aru

Porque, pra ter piedade dele

Só mesmo tu


Abençoa o caminho do Aru

Apesar de ele errar o caminho de qualquer jeito

E ir pro Norte

Pensando em ir pro Sul


Não precisa abençoar a saúde dele

Porque vaso ruim não quebra mesmo

Abençoa a família do Aru

Porque o mal é genético, num tem jeito


Abençoa o Aru enrustido

Porque a negação é o primeiro sintoma

Abençoa toda a aruagem

Porque sou Aru também!!


Amém!


-Extraído do livro "Confeitaria -Poesias" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.

domingo, 22 de agosto de 2010

Protesto

Considerando que nas últimas semanas o nosso ar aqui em Palmas ficou composto 65% por cinzas e fumaça, quero deixar hoje esse post pra marcar o protesto contra essas queimadas (Que não são novidade, acontecem todos os anos, deixam a cidade fedendo e coberta de cinzas, e que dessa vez alguém conseguiu superar o incômodo anual e queimar a serra toda)...Eis um poema que eu escrevi já há anos, e que todos os anos (infelizmente) eu poderia escrever de novo.

Fogo no Cerrado


Esse fedor de fumaça

Irrita o meu coração

Enquanto as cinzas deste crime

Cobrem o chão


O que é que vocês têm na cabeça,

Pra achar benefício nisso?

O solo fica pobre e muitas vidas morrem

Graças ao seu ‘serviço’!


Eu vou pagar pra ver

A sua cara de desespero

Quando o solo não produzir mais nada

E a fome te corroer por inteiro


Não brinque com esse fogo

Como se não fosse te afetar

E a nós também, mas não se engane

Você vai se lascar!


Mude a cabeça

Tudo isso retorna pra nós

Não deixe essa fumaça

Escurecer a nossa voz…



-Extraído da Obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.


quinta-feira, 22 de julho de 2010

Depois de muito tempo sumido...

...Cá estou eu novamente postando ^^
Hoje postarei um poema que foi um dos primeiros que escrevi (dentre os que estão no meu livro), e que fala de um desejo constante na minha vida. Alguém aí sente saudades? Se sim, então esse é o poema pra você =p
Saudações poéticas!


Teletransporte

Vou virar cientista!
Juro que eu vou!
Vou estudar física e matemática
Mais tempo do que viveu meu avô!

Vou trabalhar pesado
Até que a minha energia se esgote
Pra poder criar minha própria
Máquina de teletransporte!

Maluco?
Maluquice a minha saudade!
A sensação de vazio
Que me toma toda tarde

Queria ir longe
E longe em vários lugares
Ver amigos de outras terras
De outras cidades, outros ares

Tem um vestígio de sentimento
Nas estradas já quentes
Pelo sol que me queima
E me lembra de muita gente

Que esse sentimento se estenda
Até onde o meu olho não vai
Pra chegar a quem tá longe
Minha irmã, meus amigos, meu pai

Pensando em alguém (sim, de longe)
Bateu saudade, carícia da lembrança
Lembrei da sua imagem sorrindo
Coisa que vem e me balança

E, pra minha surpresa,
Você me deu um alô
Dizendo que viu alguém estranho
Olhou pra ele e lembrou…

Lembrou de mim e deu notícia
Falando que a saudade mordia
Eu ri, porque descobri
O mistério da nossa sintonia

Se eu pudesse me mover
Sem ter que ver a estrada
Teria feito longas visitas
A quem disser que isso agrada

(…Putz, tem muita gente pra visitar…
E pouco tempo…)

Mas antes que eu morra de velho
Eu queria ver e rever
Quem eu vejo na memória
Nas memórias do meu viver

Antes que a minha visão se apague
E meu corpo entorte
Vou matar as minhas saudades
Usando o Teletransporte!


-Extraído da Obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.

sábado, 17 de abril de 2010

Festival A Próxima é Minha

video



Para aqueles que ainda não tomaram nota..Aqui em pmw rola um festival muito legal chamado "A Próxima é Minha"..e um festival aberto de arte que rola em Palmas todo mês, e lá rola poesia, música, artes plásticas..tudo que a comunidade trouxer pra ser visto, escutado e sentido ^^
Esse é o vídeo de uma das minhas apresentação lá, recitando "Quando o Sono Não Chegar" do Cordel do Fogo Encantado. Sim, eu tenho um vício poético pelos caras =p

Saudações galera!!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Primeiro Post de férias

*Este soneto é dedicado a dois personagens de uma história que eu estava escrevendo.Reparem que o soneto possui, em diálogo, um eu lírico masculino e um feminino. Algum dia talvez eu publique esse livro também.


Soneto em Olhos Cinzentos

Eu, que sempre fui tão apático, inerte
Agora me sinto agoniado, dolorido, e incompleto
Eu, que sempre fui tão despreocupada e alegre
Tô me sentindo fraca sem você por perto

Eu, que nunca acreditei em Deus,
Pensei até em rezar pra te esquecer
Eu, que era decidida e destemida
Agora não sei o que fazer

Eu estou atordoada, perdida, sem saber aonde ir
Parece um frio intenso, que só eu posso sentir
E se intensifica ainda mais ao anoitecer

Eu, que tenho esquecido meu próprio coração
E que vivia na paz da solidão
Agora me sinto em guerra sem você…


-Extraído da do livro "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Saudações!

Olá galera!!! Me desculpem pelo sumiço, mas... Como diria um ditado: antes tarde do que mais tarde =p
Em homenagem ao blog "Rabo da Porca" que conheci recentemente, estou postando aqui um poema sobre os nossos queridos políticos que supostamente estão defendendo os nossos direitos. Não generalizemos, mas não nos conformemos com aqueles que sacaneiam a gente. Fica a Dica.


Aos ladrões de terno

Quando eu grito ‘pega ladrão’
Todo mundo olha pro pé-rapado
Mas ninguém lembra do cara
Que dirige carrão, todo engravatado

Seja o político, o padre, o pastor
A gente acha um
Que pega o nosso dinheiro sem avisar
E mente sem pudor nenhum

E eles sorriem, mas não sorriem pra a gente
Eles riem da gente
Porque estamos por fora do esquema
E isso é conveniente

Os bandidões de terno e de colarinho
Se aproveitam da ignorância e da boa fé
Por quanto tempo vai ser assim?
… Só enquanto você quiser!

-Olha nos olhos de quem te engana e te usa como escada pra subir na vida,
e deixe bem claro o que acontece se você sair de baixo!


-Extraído da obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves.Todos os direitos reservados.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Pra equilibrar o Blog =p

Esta aqui é pra contrapôr a poesia do João Cabral de Melo Neto, do post anterior =p

Dicionário de você


Nossa! Bem que em algum lugar

Podia ter

Um dicionário que me traduzisse

E explicasse tudo sobre você


Pra trazer o significado

De um certo olhar

Eu ainda não descobri

Mas eu chego lá!


Eu quero descobrir

Procurando entre linhas e linhas

Tentando achar a palavra certa

Pra te chamar de minha


Queria entender os seus gestos

Saber se isso é convite ou rejeição

Eu queria um dicionário pra isso

Eu queria uma explicação


Não sei o que você pensa

Mas eu queria saber

Queria encontrar tudo explicado

Em um dicionário de você


-Extraído da Obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.