domingo, 22 de agosto de 2010

Protesto

Considerando que nas últimas semanas o nosso ar aqui em Palmas ficou composto 65% por cinzas e fumaça, quero deixar hoje esse post pra marcar o protesto contra essas queimadas (Que não são novidade, acontecem todos os anos, deixam a cidade fedendo e coberta de cinzas, e que dessa vez alguém conseguiu superar o incômodo anual e queimar a serra toda)...Eis um poema que eu escrevi já há anos, e que todos os anos (infelizmente) eu poderia escrever de novo.

Fogo no Cerrado


Esse fedor de fumaça

Irrita o meu coração

Enquanto as cinzas deste crime

Cobrem o chão


O que é que vocês têm na cabeça,

Pra achar benefício nisso?

O solo fica pobre e muitas vidas morrem

Graças ao seu ‘serviço’!


Eu vou pagar pra ver

A sua cara de desespero

Quando o solo não produzir mais nada

E a fome te corroer por inteiro


Não brinque com esse fogo

Como se não fosse te afetar

E a nós também, mas não se engane

Você vai se lascar!


Mude a cabeça

Tudo isso retorna pra nós

Não deixe essa fumaça

Escurecer a nossa voz…



-Extraído da Obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.


quinta-feira, 22 de julho de 2010

Depois de muito tempo sumido...

...Cá estou eu novamente postando ^^
Hoje postarei um poema que foi um dos primeiros que escrevi (dentre os que estão no meu livro), e que fala de um desejo constante na minha vida. Alguém aí sente saudades? Se sim, então esse é o poema pra você =p
Saudações poéticas!


Teletransporte

Vou virar cientista!
Juro que eu vou!
Vou estudar física e matemática
Mais tempo do que viveu meu avô!

Vou trabalhar pesado
Até que a minha energia se esgote
Pra poder criar minha própria
Máquina de teletransporte!

Maluco?
Maluquice a minha saudade!
A sensação de vazio
Que me toma toda tarde

Queria ir longe
E longe em vários lugares
Ver amigos de outras terras
De outras cidades, outros ares

Tem um vestígio de sentimento
Nas estradas já quentes
Pelo sol que me queima
E me lembra de muita gente

Que esse sentimento se estenda
Até onde o meu olho não vai
Pra chegar a quem tá longe
Minha irmã, meus amigos, meu pai

Pensando em alguém (sim, de longe)
Bateu saudade, carícia da lembrança
Lembrei da sua imagem sorrindo
Coisa que vem e me balança

E, pra minha surpresa,
Você me deu um alô
Dizendo que viu alguém estranho
Olhou pra ele e lembrou…

Lembrou de mim e deu notícia
Falando que a saudade mordia
Eu ri, porque descobri
O mistério da nossa sintonia

Se eu pudesse me mover
Sem ter que ver a estrada
Teria feito longas visitas
A quem disser que isso agrada

(…Putz, tem muita gente pra visitar…
E pouco tempo…)

Mas antes que eu morra de velho
Eu queria ver e rever
Quem eu vejo na memória
Nas memórias do meu viver

Antes que a minha visão se apague
E meu corpo entorte
Vou matar as minhas saudades
Usando o Teletransporte!


-Extraído da Obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves. Todos os direitos reservados.

sábado, 17 de abril de 2010

Festival A Próxima é Minha

video



Para aqueles que ainda não tomaram nota..Aqui em pmw rola um festival muito legal chamado "A Próxima é Minha"..e um festival aberto de arte que rola em Palmas todo mês, e lá rola poesia, música, artes plásticas..tudo que a comunidade trouxer pra ser visto, escutado e sentido ^^
Esse é o vídeo de uma das minhas apresentação lá, recitando "Quando o Sono Não Chegar" do Cordel do Fogo Encantado. Sim, eu tenho um vício poético pelos caras =p

Saudações galera!!