sexta-feira, 24 de julho de 2009

Saudações!

Olá galera!!! Me desculpem pelo sumiço, mas... Como diria um ditado: antes tarde do que mais tarde =p
Em homenagem ao blog "Rabo da Porca" que conheci recentemente, estou postando aqui um poema sobre os nossos queridos políticos que supostamente estão defendendo os nossos direitos. Não generalizemos, mas não nos conformemos com aqueles que sacaneiam a gente. Fica a Dica.


Aos ladrões de terno

Quando eu grito ‘pega ladrão’
Todo mundo olha pro pé-rapado
Mas ninguém lembra do cara
Que dirige carrão, todo engravatado

Seja o político, o padre, o pastor
A gente acha um
Que pega o nosso dinheiro sem avisar
E mente sem pudor nenhum

E eles sorriem, mas não sorriem pra a gente
Eles riem da gente
Porque estamos por fora do esquema
E isso é conveniente

Os bandidões de terno e de colarinho
Se aproveitam da ignorância e da boa fé
Por quanto tempo vai ser assim?
… Só enquanto você quiser!

-Olha nos olhos de quem te engana e te usa como escada pra subir na vida,
e deixe bem claro o que acontece se você sair de baixo!


-Extraído da obra "Confeitaria" de Tiago Veloso Neves.Todos os direitos reservados.

5 comentários:

Fredson N. Aguiar disse...

A arte da contestação não se limita, apenas, ao factível de palavras muito bem claras e diretas. É possível usar a música, os quadros, as charges, o pensamento. O que não pode é não pensar! Pensar sob a ótica da Justiça e da Igualdade vale a vida. Não que tenhamo-nos de nos apegar às leis que regem bom senso, que os homens nos moldaram em apêndices de volumes e mais volumes de Direito; mas à Justiça Divina que nos sentencia sob suas regras de Amor ao Próximo a fazer valer a sinceridade, o respeito, a divina valorização à vida e ao próximo.

Continue e não esmoreças! Sejamos irmãos em blog nesta blogosfera louca e amealhemos mais e mais que querem fazer valer sua voz - mesmo que expressa na pincelada sobre a tela, num risco inteligente de uma charge ou no agrupamento de letras que formas as palavras que dão sentido àquila coisa que sempre buscamos: LIBERDADE!

Lucia disse...

Alguém já disse um dia "A liberdade florsce quando a justiça acontece"...pensei nisso quando li seu poema "Ladrões de terno".
Gostei de seus poemas e vou comprar o livro. Aqui em Curitiba-Pr onde eu compro?
Tenho um amigo de TO que também é poeta e professor de Filosofia na PUC-PR (Jelson de Oliveira).
Parabéns Tiago!
Um beijo

Sílvia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sílvia disse...

Gostei demais Tiago!! Esses caras são, realmente, o cúmulo do cúmulo não são? Seu poemas deviam sair no jornal!!

:0)

Beijão!

Merie disse...

Concordo com a Sílvia, poema digno das melhores colunas ^^

'deixe bem claro o que acontece se você sair de baixo'

Genial ;D